Concrete Show: sustentabilidade no canteiro de obras permite economia na conta de luz

Técnicas e materiais que serão apresentados na 10ª edição do Concrete Show South America minimizam  impacto ao meio ambiente e reduzem custos

A expressão “construção verde ou sustentável” nunca esteve tão em alta no setor da construção civil como nos últimos anos. O objetivo de minimizar o impacto ambiental tem sido atingido com o investimento em tecnologias que garantem a sustentabilidade da obra e, como benefício, permitem a redução considerável dos custos. Muitas dessas técnicas e materiais estarão expostas no 10º Concrete Show South America que acontece de 24 a 26 de agosto no São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes).

O evento é referência no setor por congregar mais de 500 marcas – nacionais e internacionais – de mais de 150 segmentos da construção civil. “ O mercado da construção civil hoje vive o desafio de encontrar soluções econômica e ambientalmente sustentáveis. Neste ano, no Concrete Show, teremos diversas empresas comprometidas com a meta de oferecer materiais e tecnologias capazes de diminuir os custos operacionais sem comprometer o resultado final e ainda garantir respostas mais eficazes para o consumo”, diz o gerente do evento, Renan Joel. 

O diretor da Green Building Council (GBC) Brasil, Felipe Faria, explica que o movimento de construção sustentável começou primeiramente nas edificações corporativas de alto padrão e depois se estendeu para outros segmentos. “A partir de 2013 observamos o aumento da busca pela certificação LEED por uma diversidade de tipologias como data centers, centros de distribuição e logística, museus, estádios de futebol, shopping centers, indústrias e lojas do varejo. Posteriormente, o efeito atingiu também os projetos residenciais e de planejamento urbano”.  

O Green Building Council (GBC) Brasil é uma organização não governamental responsável por promover no País a certificação internacional LEED – Leadership in Energy and Environmental Design,  que avalia projetos sob os critérios de eficiência e racionalização de recursos, atestando a sua sustentabilidade. Já o Referencial GBC Brasil Casa é uma certificação voltada especificamente ao setor residencial para atestar o alto desempenho econômico, social e ambiental dos projetos.

Segundo Faria, o número de registros de certificação LEED nos primeiros quatro meses do ano chegaram a marca de 84 novos projetos. “Com esse começo consideramos o ano de 2016 o segundo melhor da certificação LEED no Brasil, perdendo apenas para os cerca de 90 novos projetos alcançados no primeiro quadrimestre de 2012. Também foram registrados oito novos projetos no Referencial GBC Brasil Casa”.

O ideal quando visamos à eficiência energética de um empreendimento é que os critérios  para tanto sejam previstos já na planta inicial como, por exemplo, a otimização da iluminação natural de um edifício. “A integração das ações que começam no início do projeto e passam por escolhas de tecnologias, materiais que ajudam no isolamento térmico e equipamentos como o ar condicionado, são fundamentais para a redução da carga elétrica consumida”, finaliza o diretor da GBC Brasil.

Isolamento térmico

O surgimento de novas tecnologias tem sido essencial para que o mercado da construção civil possa oferecer soluções que cada vez reduzem impactos ambientais e o consumo de água e energia. É o caso da HM Rubber, expositora do Concrete Show, que aposta na nanotecnologia aplicada à borracha líquida para o desenvolvimento da maioria de seus produtos. Entre os produtos da empresa está o HM Refetech Gold, um revestimento impermeabilizante concebido com tecnologia térmica de ponta que contribui para a redução do consumo de energia elétrica.

O diretor comercial da HM Rubber, Elcio Machado, explica que a composição do produto alia  microesferas ocas à nanotecnologia, criando um sistema de engenharia molecular de baixíssima condutividade térmica, excelente lavabilidade, resistência à intempéries e proliferação de micro-organismos. “Quando aplicado como proteção de telhados de fibrocimento metálicos e pré-moldados, pode oferecer até 30% de redução na temperatura interna dos ambientes o que gera uma economia de 35% de energia com refrigeração no verão. O produto também atua com 89% de refletância de radiação solar e raios UV, constituindo uma barreira física e química em diversas superfícies”, afirma Machado.

Outra alternativa para ajudar na economia de energia é o uso da Argila Expandida. O produto é um agregado leve que se apresenta em forma de bolinhas de cerâmica, com uma estrutura interna formada por uma espuma cerâmica com microporos e uma casca rígida e resistente. A Argila é utilizada para diminuir a temperatura interna dos ambientes, o que consequentemente impacta na economia de energia.

“Por ser um agregado leve, poroso e resistente, a Argila tem propriedades de isolamento térmico quando aplicada sobre a laje de cobertura dos imóveis. O produto retém o calor contribuindo muito para a eficiência energética do empreendimento, reduzindo a temperatura em até 6ºC”, explica o engenheiro civil e responsável técnico da Cinexpan, Carlos Alberto Pereira. 

A Argila Expandida da Cinexpan pode ser utilizada sobre a laje de cobertura de residências, comércios, indústrias e etc, após a impermeabilização e aplicação da camada de proteção mecânica. Além disso, o produto também pode ser adotado em projetos de paisagismo, coberturas verdes, áreas drenantes e retenção de águas pluviais, que são opções cada vez mais recorrentes na construção de empreendimentos mais sustentáveis.

Serviço

10º Concrete Show South America

Data: 24 a 26 de agosto

Local: São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes)

Informações: http://www.concreteshow.com.br/pt/

 

Fonte: Assessoria de imprensa

 

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *