Negócio fechado!

Nona edição do Concrete Show South America reúne mais de 30 mil pessoas e movimenta mercado com lançamentos para a cadeia produtiva do concreto, conteúdo de qualidade e vendas

Diante dos desafios econômicos que o Brasil tem enfrentado nos últimos meses, a construção civil brasileira mantém o positivismo e acredita que a sinergia entre empresas, fornecedores e representantes do setor é fundamental para seguir em expansão de mercado. Esse tom otimista marcou a abertura da nona edição do Concrete Show South America, que aconteceu em São Paulo, em agosto. O evento, realizado pela UBM Brazil, reuniu mais de 30 mil profissionais da construção civil e da cadeia produtiva do concreto.

Em mais de 60 mil metros quadrados de exposição indoor e outdoor, a feira contou com mais de 600 marcas expositoras vindas de 40 países, além de 70 novas empresas nacionais e internacionais, apresentando inovações em tecnologias e equipamentos para um público que busca aumento de produtividade e redução de custos nos canteiros de obras.

A instabilidade do cenário econômico não atrapalhou as vendas dos expositores. “Vendemos uma bomba-lança de 36 metros de altura, capaz de fazer a distribuição de concreto e o bombeamento em altura ou lugares confinados. O valor da transação foi de R$ 840 mil. O negócio superou nossas expectativas, pois viemos com o objetivo de fazer networking com os nossos clientes em potencial”, contou Rodrigo Satiro, diretor comercial da Putzmeister. O executivo disse que, com o mercado menos aquecido, o foco da empresa está direcionado ao setor de serviços. "O segmento da locação de equipamentos vem gerando receita considerável”, disse.

Quem também destacou o perfil mais especializado dos visitantes e o potencial de vendas foram os executivos da Schnell, empresa de ferragens e pré-moldados. “Cerca de 200 profissionais estiveram no nosso estande com real interesse em fechar negócios. Um desses contatos nos rendeu a venda de um PS4 para coluna soldada no valor de R$ 400 mil”, contou o técnico da empresa Eduardo Teixeira.

“A situação está difícil para o Brasil como um todo, mas os principais players participaram do evento e a visitação foi qualificada. Por isso, por mais um ano ficamos satisfeitos com a nossa parceria com a UBM”, apontou Renato Giusti, presidente da Associação Brasileira de Cimento Portland.

O diretor do Concrete Show, Cassiano Facchinetti, também afirmou que teve as expectativas superadas com a qualificação do público e com o volume de negócios gerado na feira. “Um dos nossos expositores revelou que vendeu 14 máquinas, o que consideramos muito positivo para atingir nosso objetivo com o evento, que é sermos parceiros estratégicos no desenvolvimento da indústria e do mercado. Os congressos realizados também geraram grande interesse, uma vez que propagaram conhecimento técnico a um público ávido por atualizações. A parceria com as associações mostrou-se muito proveitosa, pois são elas quem detêm o conhecimento”, disse.

Vitrine

A feira é tida, entre os expositores, como excelente vitrine de produtos e negócios, além de um momento oportuno para relacionar-se com toda a cadeia da construção civil.

Exemplo disso é a Schwing Stetter. “Estamos muito felizes com nossa participação, que gerou frutos além do que esperávamos. Recebemos somente visitantes realmente interessados nos equipamentos e na nossa marca. Pudemos ficar perto de nossos clientes e prospectar novos negócios”, explicou Marcos Almeida, gerente de marketing da empresa.

A Liebherr também ficou satisfeita. “Percebemos que este ano o público estava ainda mais qualificado, sendo a maioria com foco em fazer negócios e encontrar novos fornecedores. Para nós, foi muito proveitosa a participação na feira porque nosso objetivo final é o relacionamento com o cliente”, afirmou a analista de marketing da empresa Tatiana Bielefel.

Case e Iveco apresentaram soluções para elevar a eficiência e o rendimento do trabalho. Neste ano, as marcas se associaram à Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Concretagem (Abesc), participando em conjunto com palestras para as empresas do setor. O principal tema em pauta foi como obter o máximo de produtividade e baixo custo operacional. Entre os destaques individuais estavam as pás-carregadeiras na indústria do concreto, no caso da Case, e as vantagens competitivas de performance, robustez e versatilidades dos caminhões Iveco Tector Concreto 260E28.

“Estar próximo dos clientes e apresentar fisicamente os produtos, bem como os serviços de pós-vendas e a rede de concessionários, é uma oportunidade importante. O peso da CNH Industrial, por ser um dos maiores grupos de bens de capital do mundo, também tem sido um diferencial na nossa relação com o mercado”, explicou Osmar Hirashiki, diretor de vendas corporativas e vendas ao governo da Iveco.

Próximo encontro

Em 2016, o Concrete Show vai comemorar uma década de existência. O evento será realizado de 24 a 26 de agosto no São Paulo Expo, na capital paulista. “Tínhamos certeza de que o setor da construção civil, com toda a sua pujança, responderia bem às oportunidades de negócios e inovações que nossos expositores trouxeram. Agora, nosso compromisso é de, no ano que vem, fazer um evento ainda melhor, sempre com o compromisso de trazer aos empresários e representantes do setor soluções que gerem eficiência operacional e também, sempre que possível, redução de custos”, afirma Jean François Quetin, presidente da UBM Brazil.

Veja +

No site da Apelmat você confere alagumas novidades apresentadas durante a nona edição do Concrete Show e outras notícias sobre o evento.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *