Juntos somos mais fortes

A desaceleração da economia brasileira, as políticas públicas dos investimentos em infraestrutura e o período eleitoral fizeram de 2014 um ano que não deixou muita saudade. E 2015 parece ter o mesmo final.

Economia abalada, instabilidade no campo político, Operação Lava-Jato e outras circunstâncias deixaram sua marca em mais um ano difícil para o setor. O Brasil, na esfera pública e privada, carece de boa governança e ética, assim como precisa de investimentos em áreas-chave para seu crescimento.

A esperança, que dizem ser “a última que morre”, é a de que dias melhores virão. Talvez não em 2016, como alguns especialistas já preveem, mas chegarão. Afinal, o Brasil é um país de oportunidades.

Como bem disse Maílson da Nóbrega, economista e ex-ministro da Fazenda entrevistado nesta edição, os principais problemas estruturais do País estão mapeados e existem excelentes ideias sobre como atacá-los, à espera de uma liderança transformadora.

Sabemos que a recuperação de nosso setor depende de uma solução da atual crise política, do reestabelecimento do crescimento econômico e do investimento. Enquanto a luz no fim do túnel parece estar longe, precisamos nos preparar para enfrentar – e sobreviver – a um período penoso de baixo crescimento da economia e da demanda do mercado.

Encontrar oportunidades em meio a dificuldades passa pela inovação, seja revendo processos, custos, métodos de operação, mercados de atuação etc. Na busca por fazer mais com menos, algumas ideias novas – e criativas – podem surgir. E é preciso seguir adiante, incentivando a unidade e a participação associativa. Afinal, juntos somos mais fortes e vamos mais longe.

Mantendo o foco em sua missão, sua visão e seus valores, a Apelmat, juntamente com o Selemat, continuará o trabalho no próximo ano para beneficiar os associados e com eles enfrentar este período de baixo crescimento da economia e da demanda em nosso segmento, vencer os desafios e avançar em meio à tempestade.

 

Luiz Antônio Sanches

Superintendente da Apelmat e do Selemat

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *