Projeto de incentivo à Lei Anticorrupção recebe parecer favorável da CCJ

O Estímulo para as empresas aderirem aos requisitos previstos na Lei Anticorrupção, previsto no PL 723/2017, de autoria dos vereadores Caio Miranda (PSB) e Janaína Lima (NOVO) recebeu parecer favorável da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), na reunião ordinária desta quarta-feira (15/8).  O projeto estabelece critérios de anticorrupção nas licitações públicas.

Caso aprovado em plenário, o projeto possibilitará que a administração pública municipal estabeleça, como critério de desempate, em certames licitatórios, a preferência de contratação de empresas que adotem, em sua estrutura interna, posturas de combate à corrupção.

Read More

Share

Anuário CNT do Transporte chega à terceira edição

Documento é uma rica base de dados estatísticos e mostra a evolução de todos os modais de transporte ao longo dos anos

A série histórica com os principais dados disponíveis do setor de transporte chega à terceira edição e pode ser consultada no Anuário CNT do Transporte 2018, lançado nesta segunda-feira (13) pela CNT (Confederação Nacional do Transporte). O documento está publicado na íntegra e contém mais de 800 tabelas que mostram a evolução de todos os modais do setor (rodoviário, ferroviário, aquaviário e aéreo), seja na área de cargas, seja na de passageiros. Todo o material disponível pode ser acessado no endereço: anuar​​iodotransporte.cnt.org.br

Consolidado junto ao segmento de transporte como uma rica base de dados, o trabalho apresenta informações não somente aos transportadores, mas, também, ao poder público, à iniciativa privada, ao meio acadêmico e à sociedade em geral. “Os dados revelam a dimensão do setor, a diversidade da atuação dos transportadores e os gargalos que ainda precisam ser solucionados na infraestrutura nacional. Nesse sentido, o trabalho da CNT é essencial na medida em que pode balizar a elaboração de projetos e de políticas públicas relacionadas ao setor de transporte”, afirma o presidente da CNT, Clésio Andrade.

Read More

Share

Mais de 2,7 mil obras públicas estão paralisadas no Brasil, diz CNI

Realizada a partir de dados do Ministério do Planejamento, a pesquisa apontou que 517 projetos são do setor de infraestrutura. Obras custaram R$ 10,7 bilhões

De acordo com o estudo “Grandes obras paradas: como enfrentar o problema?”, feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Brasil investe apenas 2% do Produto Interno Bruto (PIB) em projetos de infraestrutura e desperdiça boa parte em obras paradas. Ao todo, existem 2.796 obras públicas paralisadas no Brasil.

O setor de infraestrutura tem 517 (18,5%) obras paralisadas em algum estágio. O ranking da categoria é liderado pelos projetos de saneamento básico, com 447 empreendimentos interrompidos. Em seguida, aparecem obras de rodovias (30), aeroportos (16), mobilidade urbana (8), portos (6), ferrovias (5) e hidrovias (5). As obras tiveram investimento de R$ 10,7 bilhões e, segundo a CNI, não deram nenhum retorno à sociedade.

Read More

Share

Candidatos à presidência expõem projetos para a construção civil

Sabatina de entidades setoriais reuniu Marina Silva, Geraldo Alckmin, Álvaro Dias, Ciro Gomes e Henrique Meirelles. Jair Bolsonaro e representante do PT não participaram

Cinco candidatos à Presidência da República participaram nesta segunda-feira (6), em Brasília, do evento “O futuro do Brasil na visão dos presidenciáveis 2018”, realizado pela Coalizão pela Construção, formada por 26 entidades representativas da indústria da construção. O evento tinha o objetivo de ouvir as propostas dos presidenciáveis para a recuperação da economia brasileira, especialmente no setor da construção civil.

Estiveram presentes no encontro os candidatos Marina Silva (Rede) e Geraldo Alckmin (PSDB), na parte da manhã, além de Álvaro Dias (Podemos), Ciro Gomes (PDT) e Henrique Meirelles (MDB), na parte da tarde.

Read More

Share

Prefeitura de São Paulo apresenta projeto de novo plano cicloviário

Proposta visa melhorar a integração com os diferentes meios de transportes. A previsão é que até 2028 a cidade tenha mais de 1.420 km de vias para bicicletas

A prefeitura de São Paulo apresentou proposta para um novo plano cicloviário na cidade. Elaborado pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, o projeto tem o objetivo de melhorar a mobilidade e criar maiores conexões entre os diferentes meios de transportes.

O plano prevê a ampliação da rede cicloviária e conexão com terminais de ônibus e estações de metrô e trem. Também prevê a requalificação e a criação de ciclovias, ciclofaixas e ciclorrotas com base nas características e volume de tráfego da via, além da implantação de estruturas de acalmamento de tráfego nas ciclorrotas. Por fim, também prevê melhorias na infraestrutura de apoio ao ciclista, como bicicletários e paraciclos.

Read More

Share

Poucas empresas usam instrumentos de financiamento para exportar

Crédito à exportação concedido às empresas pode se tornar um diferencial em um ambiente competitivo

A maioria dos exportadores brasileiros não utiliza instrumentos de financiamento para a atividade em decorrência da dificuldade de acesso às informações e das exigências de garantias para aquisição de crédito. Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI) confirma esse comportamento. Segundo dados de 2016, 66,8% das empresas não utilizavam (ou pouco utilizavam) algum instrumento de financiamento para exportar.

O crédito à exportação concedido às empresas pode se tornar importante diferencial em um ambiente competitivo. A simplificação do processo para adquirir financiamento para essa atividade facilitaria o acesso das empresas, além de ampliar o conhecimento sobre o tema e reduzir a burocracia.

Read More

Share

Estrella Galicia se estabelece no Brasil com aumento do interesse por cerveja premium

Marca espanhola adaptou embalagens para vender em bares do País

Embora o mercado de bebida alcoólica no Brasil seja concentrado em poucas empresas que detêm diversas marcas, a Estrella Galicia encontrou um nicho em ascensão para se estabelecer e cair no gosto do brasileiro. Trazida ao País inicialmente como um produto importado pelo Grupo Pão de Açúcar, a marca espanhola de cerveja premium tem, hoje, operação própria e 1,5% das vendas gerais de cervejas.

O interesse em comerciar no Brasil motivou a Estrella Galicia a firmar uma parceria com o Pão de Açúcar e, durante quatro anos, as vendas da cerveja ficaram restritas aos mercados da rede. Em 2011, a cervejaria centenária, criada em 1906, abriu a filial brasileira. O diretor-geral da empresa no País, Fábio Rodrigues, conta que a marca encontrou uma oportunidade de entrar no mercado brasileiro ao perceber que o segmento premium não representava grande parte dos negócios das principais cervejarias em operação.

Read More

Share

Lançamento de imóveis deve ser maior no 2º semestre

O mercado espera que o setor de incorporação tenha um segundo semestre mais aquecido em lançamentos de imóveis do que os primeiros seis meses do ano, apesar das incertezas políticas. Durante cerca de três meses, o setor foi fortemente afetado, na cidade de São Paulo – maior mercado imobiliário do país -, pela liminar que suspendeu o direito de que projetos protocolados antes de a nova Lei de Zoneamento entrar em vigor pudessem seguir as regras antigas. O ritmo de apresentação de projetos foi prejudicado também pela greve dos caminhoneiros e pela Copa do Mundo da Fifa.

Read More

Share

Odebrecht corta 97% dos fornecedores

Determinada a convencer a sociedade de que as práticas ilícitas trazidas à tona pela Lava-Jato são coisa do passado e a recuperar mercado, a Odebrecht Engenharia e Construção (OEC) fez uma faxina em sua base de prestadores de produtos e serviços. Reduziu em 96,6% a lista de fornecedores desde janeiro de 2017, quando teve início o processo de auditoria na companhia. O número saiu de 530 mil empresas para 18 mil, em meados de julho.

Read More

Share