Máquinas de pequeno porte: alternativas econômicas e práticas

De acordo com os relatórios da AEM (sigla em inglês para a Associação de Equipamentos Manufaturados), até o fechamento de agosto de 2015, foram comercializadas 797 minicarregadeiras e 360 miniescavadeiras no mercado brasileiro.

 

A demanda por miniequipamentos é comprovada pela New Holland Construction, que conta com dez miniequipamentos em seu portfólio: sete opções de minicarregadeiras (L213, L215, L218, L220, L223, L225 e L230) e três de miniescavadeiras (E27B, E35B e E55BX).

 

Segundo o gerente de produto, Marcos Rocha, a versatilidade é um dos fatores responsáveis pela elevação do volume de vendas dos compactos nos últimos anos. “As minicarregadeiras, por exemplo, possuem uma quantidade imensa de implementos que podem ser acoplados, abrindo um leque de aplicações.”

 

A procura por máquinas com essas características está diretamente ligada à capacidade de adequação dos equipamentos, seja por dimensões menores das obras, limitação de espaço físico ou características da engenharia mecânica. “Neste último aspecto, a versatilidade e a manobrabilidade permitem uma movimentação mais ágil em espaços confinados, bem como um impacto reduzido no tráfego de pessoas e veículos”, completa.

 

Equipamentos de até 10 toneladas, como as minicarregadeiras, podem ser deslocados facilmente em centros urbanos com o uso de caminhões de pequeno porte, que podem inclusive circular em horários restritos ao transporte em caminhões maiores. Além disso, os compactos apresentam custo menor de aquisição e locação, atendendo à atual necessidade de redução de investimentos das construtoras, que buscam equipamentos com relação custo-benefício compatível com orçamentos mais enxutos para o término das obras.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *