Máquinas de pequeno porte são alternativas mais econômicas e práticas

Os miniequipamentos apresentam características complementares à linha amarela convencional, amplamente empregada em grandes obras de infraestrutura. Por serem menores e, portanto, mais ágeis e seguros para intervenções em espaços confinados, os compactos vêm ganhando destaque em obras urbanas, principalmente por apresentar soluções específicas para diversas aplicações, pois contam com uma ampla gama de implementos, tanto para as minicarregadeiras quanto para as escavadeiras compactas. Na linha completa de produtos da New Holland Construction são dez os miniequipamentos: sete opções de minicarregadeiras,  L213, L215, L218, L220, L223, L225 e L230, e três de miniescavadeiras, E27B, E35B e E55BX.

De acordo com os relatórios da AEM (sigla em inglês para a Associação de Equipamentos Manufaturados), até o fechamento de agosto de 2015, foram comercializadas 797 minicarregadeiras e 360 miniescavadeiras no mercado brasileiro. A demanda por esse tipo de equipamento é comprovada pela New Holland Construction. Segundo o gerente de produto Marcos Rocha, a versatilidade é um dos fatores responsáveis pela elevação do volume de vendas dos compactos nos últimos anos. “As minicarregadeiras, por exemplo, possuem uma quantidade infinita de implementos que podem ser acoplados, abrindo um leque de aplicações”, afirma Rocha.

O gerente explica que a procura por máquinas com essas características está diretamente ligada à capacidade de adequação dos equipamentos, seja por dimensões menores das obras, limitação de espaço físico ou características da engenharia mecânica. “Nesse último aspecto, a versatilidade e a manobrabilidade permitem uma movimentação mais ágil em espaços confinados, bem como um impacto reduzido no tráfego de pessoas e veículos”, completa.

Carlos Moutinho, proprietário da TransMout, utiliza a sua minicarregadeira L218 New Holland em todo tipo de aplicação, especialmente no carregamento de blocos e de caminhões. “Recomendo muito, inclusive já está nos meus planos a ampliação da frota da marca com outra L218, realmente uma máquina multifuncional”, afirma. Além de seu “xodó”, Moutinho tem uma retroescavadeira B90B e uma miniescavadeira E27B New Holland, que trabalham sem descanso no interior de São Paulo.

As minis dão show em obras urbanas e agrícolas

O mercado agrícola é outro segmento que vem aumentando a utilização de máquinas de construção em suas atividades. As mais comercializadas para o agronegócio são a pá carregadeira e a retroescavadeira. Já nos compactos, a minicarregadeira. “Elas podem ser equipadas com múltiplos implementos, como caçambas, valetadeiras, perfuratrizes, roçadeiras e garfos pallets, o que as tornam muito versáteis e produtivas para as várias atividades no setor agropecuário, como o carregamento de fardos e a limpeza de currais”, destaca Marcos Rocha.

Custo/benefício

Equipamentos de até dez toneladas, como as minicarregadeiras, podem ser deslocados facilmente em centros urbanos, com o uso de caminhões de pequeno porte, que podem inclusive circular em horários restritos ao transporte em caminhões maiores. Além disso, os compactos apresentam custo menor de aquisição e locação, atendendo à atual necessidade de redução de investimentos das construtoras, que buscam equipamentos com relação custo/benefício compatível com orçamentos mais enxutos para o término das obras.

 

Fonte: Assessoria de imprensa

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *