Braços direitos dos operadores

Máquinas eficientes e uma série cada vez mais completa de acessórios prometem facilitar as tarefas de terraplenagem. Conheça as novidades que os fabricantes têm apresentado para esse mercado e saiba quais os principais pedidos dos usuários

Caçambas especiais, garfos e garras de manipulação, martelos hidráulicos, sistemas de monitoramento a distância e rolos de compactação de solo são algumas das soluções “campeãs” em solicitações dos usuários de equipamentos da linha amarela. Devido ao custo do investimento, as exigências são elevadas para esses produtos e passam pela confiabilidade na marca, produtividade, baixo consumo de combustível, facilidade de operação, manutenção e reposição de peças, entre outros itens. “Os clientes esperam uma solução completa, de um único fornecedor, que traga qualidade, melhor custo-benefício e versatilidade”, resume João Felipe F. Rocha, consultor de desenvolvimento de mercados do Grupo Sotreq.

A empresa, que atua como distribuidora da Caterpillar, tem nas caçambas seus implementos mais pedidos, seguidas pelos garfos de manipulação e martelos hidráulicos. “Quase a totalidade dos equipamentos vendidos sai com uma caçamba padrão, porém vale destacar que existem diversos tipos, variando suas capacidades e aplicações, o material e a dureza de fabricação e diversos tratamentos térmicos”, explica Rocha. Por essa razão, há caçambas projetadas especificamente para obter o melhor desempenho de acordo com o tipo de material a ser movimentado. “Avaliamos o melhor custo-benefício entre o material carregado e o custo unitário (m³/$).”

A linha de ferramentas (work tools) da Caterpillar inclui fresadoras, garras de manipulação, multiprocessadores, pulverizadores, vassouras, brocas, tesouras hidráulicas, engates rápidos e placas compactadoras. Para oferecer a melhor solução aos usuários, a Sotreq utiliza o conceito “Tarefa > Ferramenta > Máquina”. “Buscamos primeiro conhecer a aplicação do cliente. Só após isso determinamos qual ferramenta proporcionará a melhor solução em relação ao custo unitário do trabalho, o tempo e a velocidade para sua realização, com garantias de que será executado como planejado. Por último, determinamos a classe do equipamento que será portador da ferramenta escolhida”, descreve Rocha.

Tecnologias para boa compactação

Em busca da melhor relação entre custo e benefício, os usuários de máquinas da linha amarela também recorrem à Hamm. Segundo Juliano Gewehr, especialista de produtos da empresa, os rolos de compactação de solos, nos modelos tambor liso e tambor com patas pé de carneiro, são os implementos que estão no topo da lista de pedidos. “Os clientes procuram por algo que justifique o investimento”, afirma o especialista. “Na linha amarela, utiliza-se muita máquina velha, já que o serviço de movimentação de terra e compactação é teoricamente simples – o que é um engano, visto que muitos problemas em obras são decorrentes da má compactação, principalmente em rodovias novas”, acrescenta.

Para auxiliar o operador a realizar esse trabalho, a empresa trabalha no desenvolvimento de várias tecnologias, como o aplicativo Hamm Seismograph e seu patenteado rolo oscilatório. “Para compactação de solos, o sistema patenteado de três pontos de articulação entre o chassi e o cilindro garante amortecimento de impactos e segurança operacional em terrenos desnivelados, além de reduzir ao mínimo os riscos de um tombamento”, descreve Gewehr.

Com relação aos cilindros lisos, destinados a solos granulares, a companhia oferece como opcional o sistema HCQ Compactômetro, que informa ao operador quando o solo está próximo de sua densidade máxima, ou seja, da compactação máxima. “Para o rolo 3520, de 20 toneladas de peso operacional e destinado a grandes obras de terraplenagem e reciclagem asfáltica, está incluído o sistema Hammtronic, que otimiza por meio de controle eletrônico todos os parâmetros de acionamentos hidráulicos do equipamento, gerando uma grande economia operacional”, explica o especialista.

Produtividade e baixo consumo de combustível

Segundo o gerente regional de vendas da LiuGong, Everson Penteado, entre os implementos mais pedidos estão garfos pallets, rompedores, tesouras, vassouras, caçambas especiais e garras.

Para Tiago Eufrasio, gerente regional de vendas da LiuGong, a empresa é capaz de atender às necessidades dos clientes, principalmente em relação ao baixo consumo de combustível e à produtividade, pelo fato de trabalhar com componentes de classe mundial. Conta ainda com uma rede de distribuição capacitada para fornecer equipamentos, suporte de serviços e peças.

Além de pesquisas para aliar o alto desempenho ao baixo consumo de combustível e à redução no nível de emissão de poluentes, Eufrasio relaciona, como principais tendências tecnológicas de seus produtos, esforços para aprimorar a segurança do operador durante a utilização do equipamento. Para chegar a resultados satisfatórios nessas áreas, a empresa costuma realizar pesquisas com os clientes para identificar onde existem pontos a melhorar nos equipamentos.

Monitoramento a distância

A New Holland Construction mantém um alto investimento em inovação dentro do planejamento estratégico. Como resultado desse esforço, a empresa oferece, em especial para o segmento de locação, o sistema de monitoramento a distância FleetForce New Holland. “Esse é um produto que pode ajudar os locadores a aumentar seus lucros”, garante Marcos Roberto dos Santos Rocha, gerente de marketing de produto para a América Latina.

“Muitas empresas hoje possuem o sistema GPRS ou satélite. A nossa solução, por sua vez, pode ser um sistema híbrido (GPRS e satélite) ou apenas GPRS”, explica o executivo. “Imagine que você possui uma frota de dez máquinas com o sistema de telemetria FleetForce New Holland na opção GPRS, mas o equipamento vai trabalhar em uma região sem cobertura de celular, o que impossibilita a transferência de dados por GPRS. Com o sistema de monitoramento da New Holland, isso pode ser resolvido facilmente instalando (via plug and play) o modem de satélite para que a transferência de dados seja realizada”, complementa. Segundo ele, posteriormente, esse modem pode ser instalado em qualquer outro equipamento.

Outra novidade é o sistema Machine Control, resultado da associação mundial da CNH Industrial com a Leica GeoSystem. “Por meio do Machine Control, equipamentos como motoniveladoras, tratores de esteiras, escavadeiras hidráulicas e retroescavadeiras podem trabalhar de forma guiada, como se estivessem utilizando um GPS, ou podem ter o controle hidráulico feito automaticamente”, descreve Rocha, que aponta como vantagem do sistema um maior valor agregado na hora da locação e garantia de maior produtividade na obra.

Mais serviços

A John Deere, por sua vez, aposta no John Deere WorkSight. “Trata-se de um pacote integrado de soluções tecnológicas que abrangem informações de utilização e códigos de falha, volumes carregados, pré-diagnósticos e interação remota com o equipamento”, detalha Thiago Cibim, gerente de suporte ao produto C&F (Construção e Florestal).

A localização da máquina com medidas de utilização e o rastreamento de manutenção por meio de um site podem ser obtidos com o JDLink Machine Monitoring System. “Dois níveis de serviço estão disponíveis atualmente: o JDlink Ultimate, oferecido em todas as máquinas, que fornece um amplo espectro de dados, e o JDLink Select, que é um serviço mais básico para todos os usos de equipamento e que provê informações sobre horímetro, rastreamento de manutenção e localização da máquina”, compara Cibim.

Paralelamente, há o Service Advisor Remote Dealer Diagnostics, outra solução fornecida pela empresa que permite ao distribuidor conexão automática à máquina para visualizar diagnósticos de problemas e dados de performance. “Se a atualização de um software for necessária, o distribuidor pode fazer isso a distância. Isso reduz significativamente o tempo e o custo associados aos reparos de equipamentos. Para seu uso, é necessária uma senha de acesso”, descreve.

 

Veja +

Para o desenvolvimento de produtos inovadores que venham, efetivamente, a atender às necessidades dos clientes, a atenção ao pós-venda e um bom relacionamento podem fazer a diferença. Confira no site da Apelmat, o que as empresas têm feito para entender as demandas dos usuários.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *