Em pauta: gestão de riscos

Uma gestão eficiente de riscos contribui para elevar a produtividade nos canteiros de obras, otimizar processos e obter ganhos relativos a custos e prazos, e consequentemente aumentar a competitividade das construtoras. Essa é uma das principais conclusões do Sobratema Workshop, realizado em abril, em São Paulo, com a participação de engenheiros, empresários, gestores, técnicos e profissionais das áreas de seguro, equipamentos, construção e engenharia.

A gestão de riscos ainda possibilita prever os principais desafios que uma obra poderá enfrentar em termos de segurança de trabalho, meio ambiente e logística. Isso permite a elaboração de uma estratégia mais adequada para a rápida remediação do problema, melhor controle da situação e maior segurança empresarial, além da operacional. “Outros benefícios que podem ser citados são maior segurança na tomada de decisões e planejamento e maior eficiência na alocação e no uso de recursos”, complementou Carlos Marini, gerente de planejamento e gestão da Galvão Engenharia.

Entre os principais riscos operacionais estão os contratuais, técnicos, gestão de pessoas, stakeholders, QSMS – qualidade, saúde, meio ambiente e segurança – e consórcios. Essa relação foi obtida após o levantamento com mais de 50 contratos de infraestrutura, incluindo rodovias, ferrovias, barragens, edificações, saneamento e urbanização em contratos públicos pela Lei 8.666/93. “Os contratuais representam cerca de 40% do total de riscos citados no estudo”, ressaltou Marini. Um dos motivos pelo alto índice desse tipo de risco está relacionado ao desequilíbrio contratual, quando as variações de valores dos insumos e serviços são maiores do que o reajuste contratual, além das alterações do escopo nos projetos básicos e executivos.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *