De cortes para drenagem de rodovias a obras para instalação de tubulações

A Vermeer Brasil destaca sua linha de valetadeiras, com 15 modelos, que executam abertura de valas nas medidas exatas de largura e profundidade dos projetos, inclusive considerando a declividade. Além da precisão, a tecnologia viabiliza que o fundo da vala seja limpo e permite que o material retirado no processo de abertura seja empregado no reaterramento, o que reduz os custos com transporte e aquisição de insumos.

Entre os modelos, a companhia salienta a RTX550MT, a RTX450 e a RTX250. A RTX550MT é dedicada à abertura de microvalas, de 3 a 5 centímetros de largura, e destaca-se pela operação com sistema de sucção de resíduos a vácuo, ideal para abrir as valas limpas para a posterior instalação de tubulações. Equipada com motor Cummins de 65 HP, o equipamento atende perfeitamente obras dentro dos centros urbanos, viabilizando a abertura de valas para instalação de redes de telecomunicações em sarjetas ou em outros pequenos espaços, onde já existam outras redes de infraestrutura como as de água e esgoto. Os cortes transversais que faz também atendem os requisitos para drenagem de rodovias, podendo ser executados transversal ou longitudinalmente ao eixo da estrada.

Já a RTX450 é destinada às obras que demandam abertura de valas de 1,5 metros de profundidade e 30 centímetros de largura. O modelo atende aos mais diversos tipos de obras de telecomunicações, irrigação, saneamento, instalações elétricas, entre outras. Por ser um equipamento de pequeno porte, consegue ter acesso às áreas mais fechadas, como na execução de viga baldrame em condomínios. Outro diferencial é o painel equipado com luzes de LED, que monitoram o sistema hidráulico, motor, filtro de ar e a presença do operador.

A RTX250, por sua vez, é uma mini-valetadeira para abertura de valas com 10 a 20 centímetros de largura e até 1,20 metros de profundidade. É um equipamento compacto, de fácil transporte e operação em centros urbanos – abre valas em calçadas ou em locais demandantes de equipamentos pequenos. Com peso de 626 kg e motor Kohler de 27 HP, não tem restrições de transporte e causa poucos impactos no entorno da obra.

“O diferencial da nossa tecnologia é a abertura de valas com precisão, evitando o desperdício de recursos como ocorre na execução com métodos tradicionais, empregando equipamentos de terraplanagem”, observa Flávio Leite, gerente geral da Vermeer Brasil.

O executivo explica que as valetadeiras da Vermeer são capazes de triturar o material retirado na abertura da vala, formando uma leira lateral, o que viabiliza a utilização desse material aerado no reaterramento posterior. "As valas abertas com estes equipamentos não demandam a aplicação de mais insumos para o aterramento, o que otimiza os cronogramas de obras, diminuindo seus custos. Outro diferencial é a automação da abertura de valas, especialmente diante da escassez de mão de obra, que tem sido um dos gargalos das obras de infraestrutura."

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *