Seu pedido é uma ordem

Nos últimos três anos, a Ford vive uma transformação no segmento de caminhões. “A companhia fez uma grande revolução nos produtos e com isso pretende aumentar sua participação no mercado”, comenta Claudio Terciano, diretor-geral da Divepe – Distribuidora de Veículos e Peças.

Um exemplo é o Cargo 816, no segmento de leves, que teve a cabine renovada. As mudanças incluíram grade em formato hexagonal, novos para-lamas, e faróis e para-choque dianteiro recuados. Os piscas, instalados no alto do para-lama, melhoram a visibilidade.

Os degraus de acesso, antes vinculados ao chassi, agora estão presos à cabine, que quando é basculada aumenta o espaço para manutenção.

O interior do caminhão também passou por mudanças. Ganhou novo volante e painel com iluminação na cor azul. O banco com suspensão a ar permite múltiplas regulagens, e as portas têm laterais revestidas em tecido.

Outra novidade apresentada foi o Cargo 1119, um veículo para aplicações urbanas e rodoviárias de curta distância. Situado numa posição intermediária entre os modelos de 8 e 13 toneladas, o caminhão tem como ponto forte a capacidade de carga útil de 7.164 quilos.

“Uma grande solicitação do mercado, que foi atendida pela Ford, são os pneus sem câmara. O Cargo 2629 agora vem com eles”, cita Terciano.

Extrapesados

A Ford estreou no segmento de veículos extrapesados com os modelos Cargo 2042 4×2, com capacidade máxima de tração de 49 toneladas, e Cargo 2842 6×2, com 56 toneladas.

Destinados principalmente ao setor de transporte de carga de longa distância, os veículos marcam a entrada da Ford no segmento que mais cresce no mercado brasileiro, impulsionado pelas obras de infraestrutura e pelo setor agrícola.

Share

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *